Nossa história

858062_792269747465439_473813133_o

Hoje a nossa missão é usar a pesquisa sobre a arte do palhaço para modificar o ambiente hospitalar, bem como as percepções do estudantes da área da saúde sobre as relações humanas, mas nem sempre foi assim. Lá em 2010, quando começamos, éramos bem despretensiosos.

Alguns alunos inquietos do curso de Medicina do Centro Universitário São Camilo queriam algo a mais da graduação do que apenas o contato com as disciplinas técnicas. Queriam praticar algo associado à arte, mas não sabiam nem como e nem por quê. Foi aí que encontraram um professor, também inquieto, que, além de biomédico, também era palhaço. Algo aconteceu ali.

Professor e alunos se juntaram em uma sala da faculdade, à noite, para uma oficina de palhaço, com o objetivo de… de… bem, não tinha muito objetivo. A oficina foi tão divertida, que fizeram outra e outra e outra.

Formou-se um grupo que, depois de encontrar pela primeira vez a linguagem do palhaço, ficou com vontade de utilizá-la em hospitais. Com esse objetivo em mente, o grupo propôs um projeto de extensão para a faculdade, que aceitou e apoiou. Nascia oficialmente o projeto Narizes de Plantão.

Depois desse primeiro grupo de alunos vieram outros, não só estudantes de Medicina, mas também de Biomedicina, Enfermagem, Fisioterapia, Nutrição, Psicologia e Terapia Ocupacional. Vieram também dois hospitais, que visitamos semanalmente: o Hospital Samaritano de São Paulo e o Hospital da Criança (São Luiz).

Hoje os primeiros alunos que fundaram o Narizes já estão formados e atuando como médicos. Mal sabiam eles teríamos uma missão oficial tão bonitinha como aquela do primeiro parágrafo e que também teríamos uma missão secreta: dominar o mundo!

Quer saber mais? Acesse nossos Relatos de Atividades. Neles está tudo que fizemos durante o ano!

Relato de Atividades 2011

Relato de Atividades 2012

Relato de Atividades 2013

Relato de Atividades 2014

Relato de Atividades 2015

Relato de Atividades 2016