Depoimentos

Nós acreditamos que ao levar nosso trabalho ao ambiente hospitalar somos capazes de transformar o ambiente e, de alguma forma, contagiar os pacientes, funcionários e acompanhantes com a linguagem do palhaço. Nossas crenças ficam cada vez maiores quando recebemos recados como esses aqui:

 

 “Quando li o pedido de um depoimento sobre a importância do projeto Narizes de Plantão, lembrei de meus pequenos diários escritos logo após as oficinas dentro do metrô durante a volta para casa. Então, eu acredito que nada seria mais sincero, verdadeiro e significativo do que meu relato deste dia. Depois de um pouco mais de um ano, reler essa vivência e perceber que esse amor permanece em mim e está presente em todos os aspectos da minha vida é maravilhoso.

 

 “Hoje colocamos o nariz. A grande lição do dia foi aprender a dizer SIM. Foi incrível! A sensação de entender como um simples sim pode fazer absolutamente tudo ficar mais divertido, foi indescritível. Essa idéia sem duvida será a melhor maneira de encarar a vida. Poder verificar a diferença do SIM e do NÃO é transformador. Quando coloquei o nariz verifiquei que naquele momento seria uma pessoa melhor, partindo então para um caminho que espero nunca mais voltar. Hoje tive um encontro comigo, com minha essência, na qual nunca mais quero me separar e que jamais cairá no esquecimento.” Relato 02/08/13 – 22:44

 

Atualmente, não participo mais do projeto, pois estou formada. Sou Terapeuta Ocupacional e trabalho na área de Saúde Mental utilizando a Linguagem do Palhaço como recurso terapêutico. Tenho como objetivo resgatar os prazeres e a alegria que a doença nos toma de maneira tão brutal. Para cada encontro, rimos mais, gargalhamos mais e vivenciamos as situações do nosso cotidiano, as rupturas, os sofrimentos. Não colocamos o nariz, não aprendemos a ser palhaços. Nós encontramos as grandes perdas, encontramos o que nos movimenta, o que nos motiva e principalmente encontramos e deixamos permanecer aquilo que nos faz sentir bem, livres. É o encontro de si e do outro. Nos grupos, revivemos as sensações de reconquistar e reconstruir nosso cotidiano, isso é Terapia Ocupacional, através do olhar mais puro e vivo, isso é ser palhaço.”

Carolina Navarro Costa, Palhaça Tonha, Terapeuta Ocupacional e Ex integrante do Narizes de Plantão


 

“Depois de um dia de muito trabalho me alegrei profundamente em encontrá-los. É muito bom saber que há pessoas que se dedicam em levar sorrisos para muitos que deixaram de sorrir. O sorriso alegra a alma e renova a esperança. Deus abençoe esse lindo trabalho”

Meire Cristina, funcionária do Hospital Samaritano

 


 

“Hoje vocês despertaram um sorriso e alegraram nossos corações. Obrigada pela gentileza e carinho! A família agradece, principalmente as pequenas Luiza e Laura, que tinha acabado de receber alta. Deus abençoe vocês e o trabalho lindo que realizam”

Silvana Costa, acompanhante da Luiza e Laura, pacientes do Hospital São Luiz


 

“Os Narizes de Plantão estiveram presentes no Hospital da Criança – Jabaquara, fazendo o que mais eles sabem fazer… palhaçadas e diversões, alegrando o nosso dia!!! Continuem assim, não levando a vida tão a sério, porque na real, todos nós gostaríamos de ter um narizinho vermelho de plantão todos os dias!!! Valeu galera!!! Vocês são demais!!!”

Regina Menezes, funcionária do Hospital São Luiz


 

“Muito lindo esse trabalho… vocês passaram pra brincar com o Dandan! Foi lindo e emocionante ver o meu pequeno rindo e super feliz, diante de uma fase tão difícil que estava passando… obrigada pela visita!”

Renata, mãe do Daniel


- Todo sofrimento merece um recreio! Essa foi a fala de um paciente após contemplar um grupo de voluntários cantar nos corredores do hospital. Creio que essa seja a ideia. Com os Narizes de Plantão não é diferente: propiciam esse mesmo descanso da alma, ou pausa para o lanche! Uma suavidade…. Quer seja adulto ou criança, jovem ou idoso, não importa!

O que vale é ir além! É poder transpor, passar através da dor, do sofrimento, da privação, de medo e de incertezas, sentimentos frequentemente presentes dentro das instituições de saúde e poder fazer a diferença no momento em que se aplica
uma palhaçada. Palhaçada?? Que nada!! É coisa muito séria.

Essa suposta brincadeira revela a verdadeira essência do humano, aquilo que é afável, benéfico e nos remete a algo ligado ao amor e bem-estar. Tudo de bom!! Parabéns ao querido grupo Narizes de Plantão, que tanto tem contribuído neste curto, mas frutífero, período de atuação aqui no Hospital Samaritano. Obrigada por tudo que já conquistaram aqui. Que seja longa sua vida, que o grupo não esmoreça nos dias mais cinzas e nos desafios que a vida nos impõe e que cada
vez mais possa prosperar e semear alegria por onde passar, contaminando a todos que precisam de um pouco de fantasia que alimenta a alma!”

Denise Cavallini Alvarenga, Gerente Executiva dos Serviços de  Enfermagem, Hospital Samaritano – SP